Buscar

Notícias

  • 01/06/2017 - Patrocínios

    Com patrocínio Vivo, festival MANA - Mulher, Arte, Narrativas e Ativismo agita Belém

    Durante esta semana, acontece em Belém o MANA - Mulher, Arte, Narrativas e Ativismo, festival idealizado e realizado por mulheres, que reúne artistas em uma programação com diferentes expressões artísticas, painéis que debatem o protagonismo da mulher na produção cultural e oficinas que conectam ideias e saberes entre nomes já atuantes na cena com aquelas que estão começando ou interessadas em começar.

    Com patrocínio da Vivo, via Lei de Incentivo à Cultura Semear, da Fundação Cultural do Pará e do Governo do Estado do Pará, o MANA é produzido pela 11:11 Arte Cultura e Projetos, das artistas Aíla e Roberta Carvalho, destaques do Pará contemporâneo. O evento teve início na segunda-feira (29/05) com uma mostra audiovisual no Cine Líbero Luxardo e curadoria da cineasta Jorane Castro, e segue até dia 03 de junho.

    “O festival surgiu de nossas inquietações como mulheres, artistas e produtoras culturais. São muitas as barreiras que encontramos para conseguir ocupar os espaços que ocupamos hoje no universo artístico – e que ainda são bastante restritos”, comenta Roberta, que estará no MANA com uma nova versão de seu trabalho Projeções do Feminino, intervenção audiovisual mapeada que vai levar ao centro histórico de Belém diferentes narrativas de existência da mulher paraense. “Com o festival, queremos não apenas abrir espaço para que as artistas mostrem seu trabalho, mas também conectá-las, fortalecer redes e canais de produção”, completa.

    A cantora e compositora Aíla, em turnê com seu mais recente disco Em Cada Verso Um Contra Ataque, explica que o MANA nasce como uma iniciativa de afirmação artística das mulheres, uma resposta à lógica da produção cultural que as mantém à margem, não apenas da programação dos eventos, mas também de sua concepção. “Na verdade, entendemos que essa lógica ainda não nos coloca nos lugares que merecemos ocupar. Queremos que a nossa arte ecoe, que a arte de todas as mulheres ecoe e esse festival é a forma que encontramos de fomentar isso”.

    Com atividades gratuitas, o MANA acontece em diferentes locais da cidade, um deles o Centro Cultural SESC Boulervard, que vai receber principalmente os painéis, workshops e apresentações musicais. Um dos destaques do evento é Djamila Ribeiro, filósofa e feminista negra de voz potente, que volta a Belém para falar sobre a intersecção do feminismo com as artes.

    Outro destaque é a oficina com o Slam das Minas SP, que traz à Belém Luz Ribeiro, primeira mulher a vencer o SLAM BR, e representante do país na Copa Mundial de Poesia, na França. Mel Duarte, Carolina Peixoto e Pamella Soares se juntam a ela para trocar com as rappers iniciantes e slammers paraenses sua experiência bem-sucedida na organização do Slam das Minas em São Paulo.

    Uma grande festa encerra o Festival, que levará ao palco, as performances das cantoras paraenses Sammliz e Aíla, além de convidadas especiais, e um encontro emblemático entre o Slam Dandaras do Norte e Slam das Minas SP. A DJ TataOgan vai comandar a pista durante os intervalos.

    Confira a programação completa na página do festival no Facebook.

    Vivo Incentiva Cultura

    A Vivo incentiva projetos que promovem a transformação social e a valorização da cultura brasileira em diferentes regiões do país. Em 2016, a empresa apoiou mais de 100 projetos por meio das leis de incentivo à cultura, que beneficiaram mais de 2 milhões de pessoas por meio da democratização do acesso e formação de novos talentos. A empresa também é signatária dos principais pactos de empoderamento feminino, o ONU Mulheres do Brasil e a Associação Movimento +Mulher 360.
voltar
 

© 2012-2013 Telefônica S.A. Todos os direitos reservados.