Vivo inaugura usina solar em Roraima

Boa Vista, 18 de abril de 2022 - Empresa neutra em carbono e com atuação voltada ao desenvolvimento sustentável, a Vivo inaugura em Boa Vista-RR sua primeira usina de geração distribuída de energia, de fonte solar, no estado de Roraima. Esta é a segunda usina a serviço da Vivo na região Norte e a 24ª em operação no Brasil.

Construída em parceria com a empresa VOLTXS ENERGIA S/A, a usina de Boa Vista ocupa uma área 2,5 hectares. Tem capacidade para produzir 2.278 MWh/ano de energia, o suficiente para atender todo o consumo em baixa tensão das 51 unidades consumidoras da Vivo em Roraima, como lojas, antenas e equipamentos de transmissão.

No modelo de geração distribuída, a energia produzida é injetada na rede da concessionária local, neste caso, a Roraima Energia, e se transforma em créditos de consumo para a empresa. “A iniciativa reforça nosso compromisso em manter consumo de energia 100% renovável, aumenta a eficiência e gera impacto socioeconômico relevante para a região”, revela a gerente de Energia da Vivo, Jussara Tassini. 

Por estarem próximas aos centros consumidores, as usinas em GD contribuem para minimizar perdas do sistema e aliviar a carga na rede de distribuição de energia. Também reduzem emissões de CO2 e evitam impacto de grandes empreendimentos no meio ambiente e comunidade. Na etapa de construção, a usina de Boa Vista gerou 45 empregos e na fase de operação, no final de abril, serão 10 empregos.

A iniciativa em Roraima integra a estratégia da empresa para ampliar a produção própria de energia de fontes renováveis. São 85 usinas no programa de geração distribuída da Vivo previstas para todo o Brasil. O projeto como um todo responderá por 89% do consumo em baixa tensão, atendendo mais de 30 mil unidades da empresa em todo o país e produzir cerca de 711 mil MWh/ano de energia, o suficiente para abastecer todo o consumo de uma cidade de até 320 mil habitantes.

Energia 100% renovável

Maior empresa de telecomunicações do Brasil, a Vivo mantém consumo de energia 100% renovável desde novembro de 2018, quando passou de um consumo de 26% de fontes renováveis – obtidas tanto no mercado livre como em geração distribuída - para 100%, por meio da aquisição de certificados de energia, os I-RECs (International Renewable Energy Certificates) de fonte eólica para o restante do consumo de energia elétrica. A empresa também atua de forma intensiva em iniciativas voltadas à eficiência energética para redução e otimização do consumo.